28 agosto 2009

E TÃO LONGE DO TEMPO, SÓ HÁ O PRESENTE
E VAI O TEMPO, PASSAM OS DIAS, VIRAM AS NOITES
SEMPRE ENCONTRO VESTÍGIOS GUARDADOS, NÃO HÁ SAIDA,
NEM EXPLICAÇÃO
JÁ NÃO ME PERTENÇO, ENTÃO ME PERCO
E ME PERGUNTO: POR QUÊ NÃO?
ENTÃO SUBITAMENTE ME PERDÔO E ME ENTREGO AO TEU OLHAR
QUE ME ENVOLVE COMO UM VÍCIO
DOIS CORAÇÕES NUNCA DISTANTES
E TEUS LÁBIOS AO CONDUZIREM OS MEUS DIZEM TUDO O QUE NÃO SE CONSEGUE TRADUZIR EM PALAVRAS
E ASSIM ME SACIA DO TEU CARINHO
ME SATISFAZ DO TEU SORRISO AO ME AMAR
E ME FAZ,
FELIZ...

2 comentários:

GrandeR@O disse...

adorei o poema
HA gsotei muito mesmo
bem vinda ao Insanidade
bsos

Márcio Vandré disse...

Passam os dias.
Passa a vida inteira.
E uns comemoram e lembram o tempo passado.
Outros choram a mingua.
Todos morrem.

Bonito o seu texto.
Obrigado por me seguir.
Um beijo!